Hector Julio Páride Bernabó - Carybé 1911 - 1997

 

Nascido em Lanús, Argentina fixa-se em definitivo na capital baiana em 1950, depois de morar em Gênova, Roma, Rio de Janeiro dentre outras cidades, vindo a naturalizar-se brasileiro no ano de 1957.

 

Carybé interessa-se especialmente pela religiosidade e pelos costumes locais e também pelo cotidiano de pessoas humildes, como pescadores, vendedores ambulantes, capoeiristas, lavadeiras e prostitutas, temas constantes em sua produção.

 

Ao retratar o povo, Carybé não estava fazendo uma pintura de cunho social, não acreditava neste poder da arte. O que ele queria, e conseguiu, era passar para a tela seu testemunho de uma cultura rica em detalhes, e da qual ele fez questão de se aproximar.

 

Pintor experimentado em diversos tipos de técnicas, também nos deixou um legado como cartunista, gravador, desenhista, ilustrador, mosaicista, ceramista, entalhador, muralista, pesquisador e historiador.

 

Carybé fez diversas ilustrações de livros para diversos autores da literatura, entre eles, Jorge Amado, Rubem Braga, Mário de Andrade e Gabriel García Marquez, além de ilustrar livros de sua autoria e coautoria, como Olha o Boi e Bahia, Boa Terra Bahia, com Jorge Amado. Em 1981, após 30 anos de pesquisa, publica a Iconografia dos Deuses Africanos no Candomblé da Bahia.

 

 

 

Conteúdo

 

 

 

 

O povo e as cenas do cotidiano, retratados de Forma simples, mas vibrantes.

Um conjunto de imagens em movimento, revelado pelo olhar atento do artista.

 

Conteúdo