José Christiano de Freitas Henriques Júnior (1832 - 1902)

 

No ano de 1855 aporta no Brasil, vindo da Ilha das Flores no Arquipélago dos Açores - Portugal, o fotógrafo José Christiano de Freitas

Júnior.

 

Quando da sua chegada ao país, fixa residência em Maceió, aonde inicia suas atividades como fotógrafo. No início da década de 1860, transfere-se para o Rio de Janeiro, vindo a associar-se com Fernando Antônio de Miranda no estúdio Photographia do Commercio e posteriormente a Bernardo José Pacheco na firma Christiano Jr. & Pacheco

 

Nesta época destacam-se os retratos da população cativa da cidade. Passa a retratar pessoas de origem africana, escravas ou mesmo libertas, enfocando características faciais e/ou simulando suas atividades profissionais em estúdio.

 

São retratos de busto e de corpo inteiro, nos quais os vemos executando os mais diferentes ofícios típicos tais como: vendedores defrutas, cestarias, flores, frutas, barbeiros, entre outros.

 

Mesmo sendo feitas em estúdio, o trabalho de José Christiano Júnior em paralelo as gravuras de Debret (1768 - 1848), nos proporciona uma visão, uma remontagem do Rio de Janeiro do século XIX.

 

José Christiano Júnior destaca anotações que acompanham suas fotografias no tocante a identificação da nação africana da qual o negro fotografado é originário.

 

Escrava da nação CriouloEscrava da nação Crioulo

Escrava da nação MinaEscrava da nação Mina

Escravo da nação MoçambiqueEscravo da nação Moçambique

Escravo da nação OlunanEscravo da nação Olunan

Escravo da nação AngolaEscravo da nação Angola

Escravo da nação CabindaEscravo da nação Cabinda

 

 

 

* Trabalhos realizados em 1865.