O que faz do Candomblé uma religião é todo um conjunto de ideias e de costumes próprios. Temos a nossa língua,

                a nossa dialética, as nossas comidas, as nossas danças, a nossa indumentária, temos tudo o que um país, uma

                bandeira e um panteão tem. E esse somatório deveria ser respeitado e preservado.

 

                Vemos pessoas que antes do tempo teimam em “abrir” uma casa e “iniciar” pessoas na religião (Iyawô). Existe o

                tempo e que deve ser respeitado, e antes de tudo pela falta de conhecimento que só ele, o tempo, traz.

 

                Você só pode dar o que recebeu. Só transmite Axé quem recebeu Axé.

 

                Como diz mãe Stella de Oxoossi: "a fruta só deve ser colhida no tempo certo".